TikTok tem acordo aprovado por Trump. Mas grandes questões permanecem.

Quem controla o TikTok? A plataforma de mídia social é segura? A proibição dos EUA foi evitada para sempre?

As tentativas do presidente Donald Trump de forçar uma venda rápida do popular aplicativo de vídeo de propriedade chinesa TikTok resultaram um acordo provisório no fim de semana que veria a Oracle (ORCL) e o Walmart (WMT) assumirem uma participação minoritária em uma nova empresa dos EUA que operará a TikTok.

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos adiou por uma semana a ameaça de proibição de downloads do aplicativo nos Estados Unidos, até o final do dia 27 de setembro. Mas enquanto as empresas correm para finalizar a proposta, questões cruciais sobre segurança de dados, interesse nacional e estrutura do negócio permanecem sem respostas.

O que está claro é que a luta pelo TikTok é maior do que quem possui um aplicativo popular com a Geração Z. Também se trata do futuro das relações EUA-China, e o novo terreno acidentado que as empresas são forçadas a navegar devido às tensões que existem entre as duas maiores economias do mundo.

Intenção de banir o aplicativo

Trump vem há semanas ameaçando banir o TikTok, que pertence à chinesa ByteDance, por motivos de segurança nacional, a menos que uma empresa americana assuma o controle de suas operações nos Estados Unidos. O TikTok tem cerca de 100 milhões de usuários nos Estados Unidos, e Trump afirma que o aplicativo dá a Pequim acesso aos dados pessoais dos americanos.

TikTok negou essas acusações

A empresa disse que seus data centers estão localizados inteiramente fora da China e que nenhum desses dados está sujeito à lei chinesa.

No fim de semana, Trump deu sua aprovação a um acordo que daria à Oracle e ao Walmart uma participação combinada de 20% em uma nova empresa chamada TikTok Global, que teria sede nos Estados Unidos e operaria o aplicativo. Quatro dos cinco membros do conselho da empresa seriam americanos, disseram a Oracle e o Walmart em um comunicado conjunto.

Falando a repórteres, Trump disse que aprovou o acordo “no conceito”.

“Eu dei minha bênção ao negócio”, disse Trump. “Se eles conseguirem, ótimo. Se não, tudo bem também.”

Mas o negócio para bem antes da venda total do TikTok que Trump queria originalmente, e sua estrutura contradiz sua afirmação no sábado de que o aplicativo será “totalmente controlado” pelo Walmart e pela Oracle. A ByteDance deterá 80% da TikTok Global, disse a empresa chinesa em comunicado na segunda-feira.

A Oracle disse que hospedaria dados pertencentes a usuários americanos em sua plataforma de nuvem. ByteDance disse em um comunicado que a Oracle seria capaz de revisar o código-fonte do aplicativo, mas o negócio não envolve a transferência de seus algoritmos e tecnologias.
Marco Rubio, um senador republicano, disse que ainda pode haver o risco de dados de usuários dos EUA serem enviados para a China.

“Se a China continuar a controlar o código, como entendo que fariam neste negócio, eles poderiam inserir nesse código uma instrução para enviar secretamente os dados de volta para a China, para o continente. Não importa onde os dados reais estejam armazenados, pode haver algo embutido naquele código que o envia de outra maneira “, disse ele durante uma entrevista à Fox News.

Fundo de educação vinculado ao TikTok?

Outra fonte de confusão: Trump disse que o negócio também incluiria um fundo de US $ 5 bilhões para a educação nos Estados Unidos, embora não tenha dito quais empresas fariam o pagamento.

ByteDance disse no domingo que não sabia que um fundo de educação seria vinculado ao negócio da TikTok.

“Alguns meios de comunicação informaram que a TikTok criará um fundo de educação de US $ 5 bilhões nos Estados Unidos”, disse o ByteDance em um comunicado. “Gostaríamos de esclarecer que também foi a primeira vez que ouvimos as notícias.”

O Walmart e a Oracle não mencionaram nada sobre um fundo de educação em um comunicado divulgado no fim de semana, mas disseram que a TikTok Global “vai pagar mais de 5 bilhões em novos impostos ao Tesouro dos EUA”.

Em seu comunicado na segunda-feira, o ByteDance descreveu o “chamado pagamento de impostos” como “uma estimativa do imposto de renda corporativo e outros impostos operacionais que a TikTok precisará pagar por seu desenvolvimento de negócios nos próximos anos.”

Uma mulher passa pela sede da ByteDance, a empresa-mãe chinesa do aplicativo de vídeo TikTok. (Fonte: CNN News)

Qual é o papel de Trump?

Trump se posicionou como o grande influenciador em qualquer negócio da TikTok, deixando claro que ele deve concordar com os termos antes que qualquer coisa seja oficializada.

Se isso parece incomum, é porque é. Enquanto os governos muitas vezes examinam acordos pendentes para proteger os consumidores do poder de monopólio e costumam pesar a segurança nacional quando uma fusão é anunciada, o profundo envolvimento de Trump é uma mudança radical de como os negócios são normalmente finalizados – assim como seu movimento para obrigar uma venda em primeiro lugar.

“No final das contas, Trump é o fator X”, disse Dipayan Ghosh, codiretor do Projeto de Plataformas Digitais e Democracia da Harvard Kennedy School. “O que quer que ele deseje, vai acontecer, não importando os méritos do conjunto relacionado de políticas subjacentes à proposta.”

Alguns especialistas acreditam que o acordo com a Oracle poderia ser ajudado por causa dos laços de Trump com o cofundador Larry Ellison, um defensor do presidente. O CEO Safra Katz também fez uma doação para a candidatura de reeleição de Trump.

Depois da agitação do fim de semana, o tempo agora está se esgotando novamente para analisar o acordo e garantir a aprovação de todas as partes. E ainda não está claro se o acordo tem o apoio de Pequim.

Por que o controle do TikTok importa?

A batalha pelo controle do TikTok nos Estados Unidos vai além da mídia social, preocupações de segurança e quem acaba no comando.

O resultado também terá consequências geopolíticas importantes, à medida que os Estados Unidos e a China se distanciam ainda mais sob o governo de Trump.

Por um tempo, o foco foi no comércio e na proteção da propriedade intelectual, com ambos os lados aplicando tarifas sobre centenas de bilhões de dólares em mercadorias, enquanto funcionários do governo tentavam negociar novos termos de compromisso. Mas nos últimos dois anos, a tecnologia sensível também se tornou uma grande área de contenção.

O governo dos Estados Unidos vem realizando uma longa campanha contra a chinesa Huawei, fabricante de smartphones e líder na fabricação de equipamentos para redes sem fio 5G. Citando preocupações semelhantes de espionagem, o governo Trump pressionou os aliados a optarem por outros fornecedores de equipamentos 5G, enquanto cortava o acesso da Huawei à tecnologia dos EUA, incluindo chips de computador essenciais.

À medida que a pressão se expande para outras partes da indústria de tecnologia, as empresas estão considerando o surgimento de uma nova ordem mundial que pode remodelar a forma como as empresas globais fazem negócios.

O WeChat da Tencent também foi alvo da administração Trump.

O Deutsche Bank estimou que as interrupções na oferta e na demanda, junto com a construção de uma “parede tecnológica” que força as empresas a criarem dois conjuntos de padrões para os Estados Unidos e a China, podem custar às empresas US $ 3,5 trilhões nos próximos cinco anos.

A relação econômica mais ampla também está em jogo em um momento delicado após o choque histórico da pandemia. Em um relatório publicado em meados de setembro, a consultoria Rhodium Group descobriu que o investimento EUA-China caiu para seu nível mais baixo em nove anos durante o primeiro semestre de 2020, conforme as tensões aumentaram.

Eu uso o TikTok. O que isso significa para mim?

À medida que a situação continua a evoluir, dezenas de milhões de usuários da TikTok nos EUA temem perder o acesso a um de seus produtos favoritos.

De acordo com os termos da ameaça de proibição, as pessoas que já tinham o TikTok em seus telefones ainda podiam postar vídeos curtos de danças, receitas divertidas e rotinas de comédia, como de costume, mas nenhum novo download seria permitido. Os usuários dos EUA também não conseguiriam receber patches de segurança ou outras atualizações, o que poderia causar interrupções ou falhas no futuro.

Embora a proibição tenha sido evitada por enquanto, temores sobre as restrições aumentaram os downloads do TikTok. Eles subiram 12% um número de 247.000 nos Estados Unidos na sexta-feira, em comparação com quinta-feira, de acordo com estimativas preliminares da Sensor Tower, uma empresa de pesquisas.

Fonte: Charles Riley and Julia Horowitz – CNN Business

Deixe uma resposta