6 dicas comprovadas para o sucesso dos seus vídeos no Facebook

Apenas seis anos atrás, o vídeo representava cerca de 5,5% do conteúdo do Facebook das marcas.

Em 2020, esse número quase triplicou para 15% do conteúdo das marcas na maior plataforma de mídia social do mundo.

Essa é apenas uma das conclusões de um recente estudo de vídeos do Facebook, no qual o Socialinsider, analisou mais de 10,5 milhões de postagens entre 2014 e abril de 2020.

Desses vídeos, 71% foram publicados por contas com mais de 100.000 fãs, enquanto páginas com menos de 100 fãs publicaram menos de 1% dos conteúdos de vídeo.

Mas não importa o tamanho de seguimento de sua página, a pesquisa revela alguns truques, dicas e oportunidades para ajudar seu conteúdo de vídeo do Facebook a fazer mais. (A menos que indicado, as estatísticas vêm do estudo Socialinsider 2020.)

Dica 1: ouça o Facebook

O Facebook diz o que deseja – preste atenção. Há mais de um ano, o Facebook compartilhou conselhos quando lançou seu algoritmo de vídeo atualizado. Entre os pontos a serem destacados:

  • Múltiplas visualizações – até mesmo pelos mesmos usuários – são priorizadas em relação a outros vídeos nos feeds de notícias dos usuários.
  • Os vídeos devem chamar a atenção do espectador por pelo menos um minuto. Mais peso é dado a vídeos com duração de pelo menos três minutos.
  • A distribuição de “vídeos não originais ou adaptados com valor agregado limitado ou imaterial” deve ser limitada e pode afetar negativamente a classificação da página do seu vídeo.

Embora essas informações estejam disponíveis publicamente, conhecê-las – e interpretá-las para sua estratégia de vídeo no Facebook – ajudará sua marca a ficar à frente do mercado. Você pode se concentrar no que ganha tração.

Dica 2: se renda ao poder das lives

Embora as versões ao vivo representem apenas 12% dos vídeos publicados no Facebook, elas geram um engajamento significativamente maior. (O estudo do Socialinsider define engajamento como o número total de reações, “curtidas” e comentários.)

De acordo com a pesquisa, páginas com menos de 10.000 fãs tiveram um envolvimento 73% melhor com vídeos ao vivo do que vídeos gravados no Facebook (1,59% contra 0,92%). Páginas com entre 10.000 e 100.000 fãs tiveram 54% mais engajamento. Páginas com mais de 100.000 fãs também descobriram que o vídeo ao vivo funciona melhor, mas não muito (0,10% vs. 0,09%).

A duração do vídeo também é importante. Vídeos ao vivo com 60 minutos viram quase o triplo da taxa de engajamento de vídeos mais curtos em 0,86%. Vídeos com duração entre 10 e 20 minutos ou menos de cinco minutos viram as taxas de engajamento girar em torno de 0,29%.

Explore suas oportunidades de transmitir vídeos ao vivo e reconheça que você não precisa começar do zero. Você pode transmitir um evento, conferência, programa, lançamento de produto ou um pouco de um brainstorm de equipe. Muitos desses formatos também se prestam a vídeos mais longos para que você possa garantir que eles tenham pelo menos 60 minutos.

(Quer saber mais sobre o que o Facebook diz sobre ir ao vivo? Confira sua página de soluções sobre o assunto.)

Dica 3: faça vídeos longos e na vertical

Embora a duração da execução afete o engajamento, a duração da descrição do vídeo também afeta. Descrições mais longas prendem os visualizadores. A média de engajamento de vídeo com descrições de mais de 300 caracteres foi de 0,39%, enquanto o engajamento com descrições de 200 ou menos caracteres foi entre 0,19 e 0,21%.

Você também deve fazer o vídeo na vertical, pois o público do Facebook é mais receptivo aos vídeos verticais. A indústria obteve uma taxa média de engajamento 40% melhor do que vídeos de paisagem e 100% melhor do que vídeos quadrados. Esses resultados fazem sentido, uma vez que mais de 98% dos usuários ativos em todo o mundo acessaram a rede social por meio de qualquer tipo de celular em abril de 2020, segundo o Statista.

Dica 4: envie seus vídeos em vez de compartilhá-los

Muitas empresas ignoram esta dica crucial comprovada por dados: compartilhar o vídeo do canal da sua empresa no YouTube nunca é tão eficaz quanto enviá-lo.

Estudos, incluindo os da Agorapulse e da Quintly, mostraram que os vídeos nativos do Facebook recebem maior alcance e mais comentários.

DICA: Não baixe vídeos de outras pessoas apenas para enviá-los à sua página do Facebook para publicar “vídeos nativos”, a menos que você tenha os direitos legais para fazer isso para cada um.

Dica 5: preste atenção ao seu setor

Embora a pesquisa geral de vídeos do Facebook possa funcionar para sua marca, você também deve se aprofundar no seu setor.

Por exemplo, na indústria de roupas, é útil saber que os vídeos ao vivo tiveram um grande impacto no engajamento. Enquanto o engajamento total de vídeos no Facebook da indústria foi de 0,32%, os vídeos ao vivo ganharam quase sete vezes mais engajamento com 2,17%. (Veja se o seu setor foi um dos 14 segmentados na pesquisa geral.)

 

Além disso, não considere as estatísticas como verdadeiras ao desenvolver seu programa de vídeo no Facebook. Fique de olho em como os membros do seu público respondem, como eles consomem os vídeos e o que esperam de você. E olhe para seus concorrentes do setor para ver o que eles estão fazendo e o que funciona bem. (O envolvimento do concorrente no Facebook é fácil de avaliar, pois as reações, “curtidas” e comentários são mostrados publicamente.)

Dica 6: concentre-se nos primeiros 3 segundos

Embora essas estatísticas fornecidas pelo Facebook tenham alguns anos, elas ainda ressoam hoje. Quase dois terços das pessoas que assistem a três segundos de vídeo ficam por lá até pelo menos a marca dos 10 segundos. E 45% dos primeiros espectadores de três segundos assistirão por 30 segundos.

Você deve chamar a atenção de seus usuários em três segundos ou você os perderá. Tenha isso em mente ao escrever o roteiro e projetar o vídeo.

Conclusões

É imprescindível incluir vídeos em sua estratégia de marketing de conteúdo do Facebook. Com base na orientação do Facebook e na pesquisa de terceiros, você deve considerar as práticas mais eficazes para obter maior engajamento: vídeos ao vivo, duração superior a 60 minutos, formatos verticais em vez de paisagem, descrições mais longas.

Fonte: Teodora Losan – Content Marketing Institute

Deixe uma resposta