Nova guia “Shops” do Instagram é lançada para testes com usuários selecionados

Você já reparou que os botões no aplicativo do Instagram estão demorando um pouco pra responder? De repente, o ícone ‘Direct’ foi para a barra de funções inferior em vez ficar em cima, ou sua guia de atividades (o ícone do coração) desapareceu e voltou novamente dias depois?

Essas mudanças estão ligadas ao trabalho que o Instagram vem tendo para encontrar o lugar certo para colocar sua nova guia ‘Shops’, que foi visualizada pela primeira vez em maio como parte do anúncio do Facebook e do Instagram Shops, que estão em processo de lançamento.

E agora, mais usuários começarão a ver a nova guia ‘Shops’ na barra de funções inferior, à medida que o Instagram olha para o próximo estágio de sua expansão dentro do comércio eletrônico.

Conforme relatado pelo TechCrunch, o Instagram agora está testando a nova guia Shops globalmente, com um pequeno grupo de usuários. No momento, ao tocar na guia Shops você será levado para a experiência de compra existente no aplicativo, através de uma lista de postagens com as Tags de compras adicionadas por meio de comerciantes aprovados. Mas em breve, a guia destacará ainda mais opções de compra, à medida que o Facebook, empresa-mãe do Instagram, expande suas novas opções de venda na plataforma para mais empresas.

O novo ícone Shops na barra inferior substituirá a guia ‘Atividade’ das pessoas que estão realizando o teste, e os usuários ainda serão capazes de acessar seus feeds de atividades por meio de um ícone adicional no canto superior direito (ao lado do avião de papel ‘Direto’) ou do perfil deles.

A guia, como observado, é o próximo passo para tornar o comércio eletrônico um foco maior no aplicativo – e com as vendas de comércio eletrônico aumentando em meio aos bloqueios da COVID-19 e os vendedores de butiques perdendo oportunidades de gerar receita com seu trabalho – via mercados, varejo shows, pop-ups no shopping etc. – agora é o melhor momento para o Facebook dar um empurrão maior.

De fato, de acordo com uma pesquisa recente do Adobe Analytics, as vendas on-line nos EUA aumentaram 25% por dia em março de 2020, enquanto outros dados da Emarsys revelaram que, em 30 de março:

“As vendas de comércio eletrônico dos varejistas de comércio eletrônico pure-play aumentaram 34% ano a ano nos EUA e no Canadá, e o número de pedidos aumentou 52% ano a ano”.

Uma proporção significativa dessa atividade, é claro, decorre das vendas de supermercado. Com os consumidores incapazes de deixar suas casas devido aos bloqueios da COVID-19, mais pessoas encomendam seus itens essenciais online, o que é uma grande parte do que levou ao aumento na atividade de compras online. Mas o consenso geral entre os analistas é que essas tendências vão além da pandemia. Mais uma vez, os consumidores experimentam essas opções de compra on-line e percebem a conveniência de fazer compras em casa, o que exacerbará a já crescente mudança do comércio eletrônico.

Portanto a entrada do Facebook no comércio eletrônico está perfeitamente sincronizada. O Instagram seguia nessa direção há algum tempo, pois o Facebook já procurava maximizar o potencial de receita do aplicativo. E agora, parece que também se tornará uma grande potência do comércio eletrônico, com todas as pequenas e médias empresas, eventualmente, capazes de abrirem suas próprias lojas na plataforma e venderem seus produtos diretamente para o público do Instagram.

A próxima expansão disso será o eventual desenvolvimento do Facebook Pay, o que facilitará os usuários a fazerem, basicamente, compras com um clique no aplicativo. O Facebook ainda está trabalhando nos detalhes regulatórios de seus pagamentos in-stream, mas, eventualmente, será muito fácil para os usuários do Instagram simplesmente tocarem em um produto que eles gostem, com base em uma postagem ou história do Instagram, e realizarem uma compra.

A guia Shops é outra parte pequena, mas significativa, desse movimento.

Fonte: Andrew Hutchinson – Social Media Today

Deixe uma resposta